Para as telecomunicações do Brasil, 2019 foi um ano repleto de acontecimentos que anteciparam o que podemos esperar da próxima década. Relembre os mais importantes!

Há controvérsias se 2019 marca ou não o encerramento da década, mas o fato é que foi um período cheio de momentos marcantes e que ganhará espaço nas retrospectivas dos anos 2010. Em 365 dias, vimos um novo governo tomar posse, a cantora com mais hits beijar o jogador mais bem pago, o time mais popular ganhar vários campeonatos, o dólar bater recordes de alta e personalidades importantes partindo. 

Para as telecomunicações do Brasil, 2019 foi um ano repleto de acontecimentos que anteciparam o que podemos esperar da próxima década. Wi-Fi 6, eSIM, IoT… Diversas novidades tomaram conta das rodas de conversa e provaram que as projeções para o futuro já são reais. Reunimos aqui cinco acontecimentos relacionados ao nosso cenário que mudaram não apenas os rumos dos modelos de negócios, mas impactaram diretamente a vida de vocês consumidores. Acompanhe! 

 

Aumento do uso de banda larga no Brasil

Segundo dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a banda larga fixa cresceu 5,4% em um ano no Brasil. Com a atualização, o país agora conta com mais 1,6 milhões de residências que utilizam serviço de banda larga fixa. 

O crescimento é associado ao trabalho das Prestadoras de Pequeno Porte (PPPs), empresas que abocanham, no máximo, 5% de participação no setor específico de telecomunicação em que atuam. As grandes empresas ainda detém o monopólio dos serviços, embora tenham sofrido uma perda simbólico de 0,40% de residências neste período. 

 

Queda nas reclamações contra empresas de telecomunicações

Em junho, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) registrou uma queda considerável nas reclamações às empresas do segmento em comparação ao mês anterior. Foram pouco mais de 218 mil queixas, 17,2% a menos que maio. 

A queda também foi registrada se analisarmos os serviços principais isoladamente. As reclamações sobre banda larga móvel sofreram baixa de 15,1%, enquanto o decréscimo das queixas sobre telefonia fixa ultrapassam os 22%.  

As cobranças ainda são o principal motivo de reclamação dos clientes contra as empresas de telecomunicações no Brasil. Nas companhias de TV fechada, as reivindicações sobre faturas e afins ultrapassam os 50%.  

 

Projeto de lei pode acabar o sinal ruim das rodovias

A Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado Federal aprovou um projeto de lei que torna obrigatório que as operadoras forneçam sinal para as rodovias federais e estaduais. 

Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), as empresas são obrigadas a cobrir 80% da área de uma cidade e, por isso, optam por priorizar os centros urbanos. Com isso, as estradas, que geralmente são cercadas por matos, ficam em segundo plano.

Agora, a Lei aguarda votação na Câmara dos Deputados. Ela entra em vigor em até três meses caso seja aprovada em definitivo. 

 

Wi-Fi 6 é oficialmente anunciado

A Wi-Fi Alliance anunciou o lançamento da sexta geração da rede sem fio, o 802.11ax, ou em termos mais populares, o Wi-Fi 6.

A nova conexão sem fio pode chegar até a 10,53 Gbps na banda de 5 GHz de frequência. A nova geração também permite um maior número de dispositivos conectados e trouxe um reforço na segurança graças à implantação do protocolo WPA3, que garante proteção no envio de dados. 

O Wi-Fi 6, por enquanto, é restrito apenas a dispositivos lançados recentemente, já que o funcionamento depende de hardwares que precisam ser implementados na fabricação dos produtos. 

Esse foi um dos assuntos tratados no nosso blog, Città Conecta. Para ficar por dentro do assunto, CLIQUE AQUI.  

 

Lei das Telecomunicações é sancionada

O presidente Jair Bolsonaro sancionou o marco legal das telecomunicações. A iniciativa altera a legislação das empresas de telecomunicação no Brasil.

Entre as principais mudanças da nova lei, está a prioridade da internet em detrimento do telefone. A partir da aprovação, empresas públicas do setor de telefonia fixa podem migrar para a atividade privada. A medida permite também que o dinheiro destinado a regulamentação passe a ser reinvestido em banda larga. 

Caso você tenha interesse em ficar por dentro do assunto, o UOL publicou uma reportagem super didática que explica diversos pontos do novo marco legal das telecomunicações. Para ler, CLIQUE AQUI

 

Siga a gente! 

Também estamos nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube

Semana com 4 dias de trabalho: vantajoso ou uma grande tendência para acumular demandas? Descubra!

Semana com 4 dias de trabalho: vantajoso ou uma grande tendência para acumular demandas? É fato que, quando chega a sexta-feira, os funcionários já estão tão sobrecarregados com tudo que aconteceu nos dias anteriores que eles só pensam em “sextar”. Mas será que reduzir a carga horária resultaria em benefícios para a equipe e para o rendimento do trabalho?

É esse teste que diversas empresas importantes do mundo vêm realizando nos últimos tempos. Quais são os resultados? Os números apresentados compensam? Não atrapalha todo o cronograma da firma? Essa e muitas outras informações você acompanha neste artigo. Leia até o final e tire suas próprias conclusões! 

 

Semana com 4 dias: de onde vem essa história?

As primeiras projeções datam da primeira metade do século XX com os Estados Unidos afundados na Grande Depressão, uma crise econômica causada pela superprodução e que perdurou até a Segunda Guerra Mundial, dez anos depois. No período, o modelo de trabalho capitalista parecia fadado ao fracasso e uma das soluções pensadas foi uma redução da jornada. 

No entanto, a primeira implantação da metodologia que se tem documentado aparece em 1998, na França. A jornada de trabalho foi reduzida de 39 para 35 horas semanais como uma forma de reduzir o desemprego. Mais de 20 anos depois, a França vive uma nova discussão sobre um aumento considerável das horas trabalhadas que, atualmente, giram em torno de 36h mas o modelo implementado no fim do século XX ainda é considerado referência histórica. 

O caso de sucesso mais famoso da semana com 4 dias vem da Nova Zelândia. Entre março e abril de 2018, a companhia de planejamento imobiliário reduziu a jornada de 40 para 32 horas semanais. O resultado foi a diminuição do estresse em 7%, aumento de 5% na satisfação do trabalho e 24% dos funcionários afirmaram estar se sentindo melhor em relação à vida pessoal. Desde então, os cerca de 240 funcionários da empresa trabalham de segunda a quinta-feira. 

 

Semana com 4 dias: o caso de sucesso mais recente vem de uma grande empresa

Neste ano, os escritórios da Microsoft no Japão tiveram suas cargas horárias de trabalho reduzidas a quatro dias semanais sem nenhuma alteração na folha de pagamento. Durante todo o mês de agosto, os 2.280 funcionários da companhia puderam folgar às sextas-feiras. Os resultados da iniciativa foram divulgados à imprensa no começo de novembro. 

Segundo informações da empresa, os funcionários tiveram um aumento de 40% na produtividade em relação ao mesmo período do ano anterior. Este fator foi medido de acordo com o número de vendas de cada contratado. A Microsoft apontou que a medida também é sustentável, já que os gastos com papel e eletricidade reduziram em, respectivamente, 59% e 23% em relação a agosto do ano passado. 

Outra medida importante foi relacionada à tomada de decisões. Os e-mails, que podem demorar horas ou até dias para serem respondidos, foram substituídos internamente por um aplicativo de mensagens instantâneas. Já as reuniões, só aconteciam em casos de extrema importância. Mesmo assim, tinham hora pra começar e terminar: apenas 30 minutos cada. 

A iniciativa é parte do programa Work-Life Choice Challenge, que busca estimular um balanceamento entre vida pessoal e profissional. O projeto é de extrema importância no Japão, que sofre com constantes casos de “karoshi”. Trata-se da morte por excesso de trabalho. Com tanta pressão nas costas, os trabalhadores têm overdoses por abuso de medicamentos, sofrem maus súbitos ou chegam ao suicídio.  

 

Semana com 4 dias: vantagens e desvantagens

A principal vantagem do modelo é o aumento da produtividade. Com menor duração e a mesma carga de trabalho, perde-se menos tempo em pausas ou em reuniões improdutivas e aumenta o foco em entregar a demanda no período certo. Um dia a menos também pode resultar em mais espírito de equipe em seu time, já que gera um sentimento de cooperação para que todas as metas sejam cumpridas. 

No entanto, é um protótipo que pode gerar mais custos se não for implementado cuidadosamente. Se o modelo de trabalho não for repensado e adaptado para as 32 horas semanais, você pode precisar pagar por hora extra caso exceda o tempo ou necessitar contratar novos funcionários para dar conta da demanda. Por isso que, como qualquer novidade, a semana com 4 dias precisa ser longamente estudada dentro da sua empresa e do seu nicho em geral. 

 

Siga a gente! 

Também estamos nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube

WhatsApp Business: quatro dicas para utilizar da forma correta.

WhatsApp Business: a versão empresarial do aplicativo de mensagens instantâneas que tem se tornado a principal forma de conversação entre cliente e organização. As dificuldades de comunicação estão entre as principais queixas de quem precisa tirar dúvidas ou reclamar sobre um produto e um serviço. Mas os laços estão cada vez mais estreitos graças a esta funcionalidade. 

No começo de 2018, o WhatsApp anunciou o lançamento de uma alternativa do aplicativo voltada para os negócios. O WhatsApp Business tem uma interface exclusiva para empresas, que prioriza uma maior dinâmica de venda e atendimento. A funcionalidade surgiu como a grande aposta do grupo Facebook no mercado de comunicação empresarial. No entanto, foi apenas a formalização de uma realidade. 

Segundo dados da Morning Consult, 4 de 5 empresas já utilizavam o WhatsApp para fins comerciais. As empresas que já utilizam o app de mensagens instantâneas puderam fazer migração para a versão comercial sem perda de mensagens e contatos. Em apenas um ano, o WhatsApp Business atingiu a marca de 5 milhões de empresas ativas no aplicativo. 

Além da comunicação, o aplicativo se tornou uma espécie de cartão de visita de um estabelecimento. Através dele, você pode divulgar local, horário de funcionamento e outras formas de contato. Mas você tem utilizado esse espaço de forma correta? Separamos aqui algumas dicas primordiais para ter um perfil de excelência e um contato primoroso com os clientes através do WhatsApp Business. Acompanhe! 

 

WhatsApp Business: comece com um manual de uso

Como serão feitos os cadastros dos números? Como será a linguagem utilizada? Formal? Informal? Como serão as saudações automáticas? Quais as respostas para as principais dúvidas? 

O contato humano é imprevisível, mas essas e muitas outras questões já podem estar definidas antes. Como os jornais impressos têm os manuais de redação, você deve desenvolver um manual com regras básicas de contato com seus clientes. Essa organização garante não apenas qualidade, mas um padrão no atendimento dentro das normas da sua empresa. A forma com que se conversa com o cliente deve ser um reflexo da missão, da visão e dos valores da sua marca.  

Mas lembre-se: criar um manual de atendimento não significa que ele deva ser completamente frio e engessado. O cliente valoriza o contato humano e, mesmo que ele não faça ideia com quem esteja falando, é importante perceber que não se trata de um robô. 

 

WhatsApp Business: envie conteúdo assertivo

Na hora de distribuir mensagens no WhatsApp Business, pense no valor do conteúdo para aquele público. Se sua empresa tem produtos segmentados para vários públicos específicos, não é de grande valia enviar promoções para o nicho que não se interessa por essa fatia do seu negócio. 

E mensagens demais de empresas podem encher o saco do cliente e afastá-lo do seu negócio. Portanto, use e abuse da ferramenta de lista de transmissão e crie grupos específicos de compradores baseados nas experiências anteriores. 

Por fim, não faça spam! Apenas envie mensagens quando o cliente se cadastrou na sua lista de transmissão e deu autorização para o recebimento de novidades. Além de ser expressamente proibido nos termos de política do WhatsApp Business, o spam exclui qualquer possibilidade de aquele freguês em potencial querer fechar negócio com você. 

 

WhatsApp Business: tenha uma equipe 

Não é porque o “zap” é algo extremamente banal no nosso dia a dia que qualquer pessoa é capaz de realizar o gerenciamento de uma conta comercial. Se você está com condições de aumentar a equipe, contrate alguém especialmente para esta função. O ideal é contar com um funcionário que pense, também, as campanhas do WhatsApp Business.  

Mas se você ainda tem uma empresa de um “homem” só e realiza tudo sozinho, estude profundamente a ferramenta e as diversas possibilidades de comunicação que ele proporciona. Só não subestime o WhatsApp Business! 

 

WhatsApp Business: utilize os dados que o app fornece 

O WhatsApp Business entrega ao empreendedor uma série de medidores de desempenho que te ajudam na hora de mensurar o desempenho do seu negócio. Entre eles, estão a quantidade de clientes que recebem as mensagens, o número de pessoas que leem o que é enviado e a taxa de resposta. 

Essas informações são uma forma de reavaliar o atendimento ao público e ainda criar novas estratégias com base no comportamento da sua clientela. Você pode encontrar estes dados de forma bem fácil, no menu “Configurações” situado ao lado do botão de buscas. 

 

Siga a gente! 

Também estamos nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube

Aqui estão três curiosidades que você não sabia sobre internet fibra óptica!

Internet fibra óptica: a grande revolução da telecomunicação é responsável por conectar o mundo todo em velocidades cada vez mais impressionantes! Só quem viveu a era da conexão discada há de concordar: baixar arquivos pesados ou assistir a vídeos de alta qualidade sem travar parecia um sonho distante. Mas já é uma realidade graças à tecnologia da fibra óptica. 

Na internet fibra óptica, os dados são transformados em luz e enviados através de cabos feitos com camadas de vidro e revestidos por plástico. Os cabos de fibra óptica são um caminho criado para que a luz envie os dados na mais alta velocidade para um aparelho receptor; geralmente, torres e antenas, que, após conclusão do recebimento dessas informações, retransmitem localmente através de ondas de rádio. 

Cada unidade possui cerca de 36 fios capazes de alcançar uma velocidade de quase quatro mil gigabits por segundo. Tamanha tecnologia resulta em rapidez e qualidade de internet e telefonia muito maiores do que estávamos habituados nos bons (?) tempos de dial-up. Você pode entender mais sobre o funcionamento destes cabeamentos acessando ESTE ARTIGO AQUI

Segundo dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em 2018, 18,5% das conexões de banda larga no Brasil já utilizavam internet fibra óptica; há 10 anos, este número não chegava a 5%. Para celebrar tamanho crescimento, preparamos um artigo que destaca três fatos super interessantes sobre a internet fibra óptica. O objetivo é apenas um: te convencer a mudar para a melhor conexão. Acompanhe! 

 

Internet fibra óptica não é tão frágil quanto pode parecer

Uma das principais fake news relacionadas à internet fibra óptica se dá pelo fato de os cabos serem feitos com camadas de vidro. Há quem acredite fielmente que isso torna o cabeamento mais suscetível a quebras, mas a realidade é justamente contrária.

Prevenção de danos: se há rachaduras no cabo, a luz para de transitar e a conexão perde a velocidade ou pode até ser interrompida. Por isso, os cabos de fibra óptica foram pensados para serem resistentes a possíveis lesões. 

O vidro leva, na composição, bases de sílica ultrapura, composição química que serve de reforço para que o equipamento esteja suscetível a pesos e variações de temperatura sem que o material seja danificado. 

 

Internet fibra óptica é ecologicamente correta

Se você é uma daquelas pessoas preocupadas com o futuro do planeta e busca diariamente formas de reduzir o seu impacto no meio ambiente, a internet fibra óptica pode ser uma excelente solução. 

Como explicitado acima, a transmissão de dados é feita através do envio de um feixe de luz. Isso representa uma grande economia de energia, já que há redução de envio de sinais elétricos. 

Além da redução do uso de energia, que resulta em uma diminuição da emissão de CO2, os riscos de incêndios devido a curtos ou outros danos físicos são praticamente extintos. 

 

Internet fibra óptica não sofre com interferências externas

Instabilidade por conta de superlotação de acessos ou queda na conexão por conta de chuvas ou ventos fortes? Não conhecemos! 

A internet fibra óptica é blindada contra esses “eventos” inesperados. Isso acontece graças à própria composição do material dos cabos. Os fortes componentes criam uma barreira isolante do ambiente externo e, com isso, os sinais não escapam e também não são influenciados por qualquer fator, mantendo a qualidade e a linearidade da conexão. 

 

Internet fibra óptica é Città Telecom

 

Prazer, somos a Città Telecom! Uma empresa de internet 100% brasileira capaz de conectar você com o mundo. Graças a sabe o quê? Segura esse plot twist: graças à fibra óptica! 

Utilizamos uma rede de fibra óptica com backbone próprio e graças a este sistema, podemos oferecer serviços de internet e telefonia com a mais alta qualidade. 

Por isso, nos colocamos à sua disposição! Solicite a visita de um de nossos Consultores Especializados agora mesmo.

 

Siga a gente! 

Também estamos nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube

Operação 404: um esquema de pirataria digital que gera milhões de reais em prejuízo começa a ser combatido pela Polícia Civil.

Operação 404: um esquema de pirataria digital que gera milhões de reais em prejuízo começa a ser combatido pela Polícia Civil. Que atire a primeira pedra quem nunca baixou um álbum antes de ser lançado ou um filme que ainda estava nos cinemas porque não se aguentou de ansiedade para usufruir do material. Mas saiba que essa atitude aparentemente inocente pode corroborar para a manutenção de uma estrutura criminosa.  

 

Operação 404: o que é?

Deflagrada no começo do mês de novembro pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública em parceria com a Polícia Civil, a Operação 404 visa combater a distribuição criminosa de conteúdos audiovisuais. O objetivo é prender os responsáveis por sites e aplicativos piratas, que disponibilizam gratuitamente conteúdos como séries e filmes sem autorização das produtoras, e por serviços ilegais de TV por assinatura, os famosos “gato-net”. 

O nome da operação é uma clara referência ao erro 404, que acontece quando uma página da web não pode ser encontrada. Os responsáveis trabalham para que esses e outros materiais piratas sejam ocultados em sites de buscas e que seus conteúdos sejam desindexados, uma medida semelhante a que tem sido tomada no combate às fake news. Além disso, os sites e páginas em redes sociais desses falsos streamings estão sendo removidos. 

Mesmo em funcionamento no Brasil, os servidores responsáveis pela transmissão dos conteúdos piratas vinham de países como Canadá, Estados Unidos e França. Ao todo, 30 mandados de busca e apreensão foram expedidos. Os primeiros alvos da Operação 404 estavam espalhados entre 12 estados. A região campeã foi o Nordeste, que registrou buscas em quatro estados. No entanto, São Paulo registra o maior número de mandados expedidos. Já no primeiro dia da ação, oito pessoas foram presas em flagrante. 

Na noite de 1 de novembro, data que marcou o início da Operação 404, mais de 200 serviços ilegais já haviam sido derrubados, entre eles, 100 aplicativos móveis disponíveis em lojas virtuais e 136 sites da internet. A estimativa do Ministério da Justiça e Segurança Pública é que o número de endereços removidos chegue a 210. 

 

Operação 404: “o foco não são os consumidores”

Em coletiva de imprensa, o delegado Alessandro Barreto fez questão de frisar que a Operação 404 tem como foco punir as pessoas que disponibilizam esses materiais de forma ilegal e, não, quem baixou ou assinou esse tipo de serviço. Segundo o agente, que é  coordenador do laboratório de operações cibernéticas do Ministério da Justiça e Segurança Pública, existiram consumidores que também foram enganados e chegaram a prestar reclamações formais contra os serviços. 

De acordo com dados divulgados pela Agência Nacional de Cinema (ANCINE), o prejuízo gerado ao país graças ao consumo de pirataria online chega a 9 bilhões de dólares. Além das mensalidades, os criminosos conseguem obter lucros graças a vendas de espaços de publicidade nos sites e aplicativos. Os valores gerados com a prática ilegal não foram divulgados.

As possibilidades para combate do crescimento dessas ferramentas têm sido estudadas. A principal delas, de acordo com Alessandro Barreto, é a confecção de um manual de boas práticas de propaganda e uma lista de sites “non-gratos” onde as marcas devem evitar realizar publicidade. Essa seria a forma mais eficaz, já que criariam empecilhos para os anunciantes, uma das principais fontes de renda desses sites e aplicativos. 

Os responsáveis também planejam uma campanha de conscientização para a população sobre o uso desses serviços. Além de causar prejuízo financeiro para o país, as atividades ilegais podem gerar diversas dores de cabeça para os usuários, como vírus, cobranças indevidas e danos aos dispositivos físicos. 

Em entrevista à Agência Brasil, Eduardo Luiz, coordenador de combate à pirataria da ANCINE, as operadoras clandestinas reduzem em até 150 mil as vagas de trabalho nas empresas legalizadas de televisão fechada, um dano evidente a um país com 12,5 milhões de desempregados. 

 

Città Telecom

Também estamos nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube

Wi-Fi 6: a nova geração da rede sem fio já é uma realidade!

Wi-Fi 6: a nova geração da rede sem fio já é uma realidade! Que os celulares evoluem e estão recebendo updates frequentemente não é nenhuma novidade. Mas você sabia que isso também acontece com o Wi-Fi? A rede sempre evoluiu de acordo com a demanda e o avanço nas pesquisas na área. Agora, os dispositivos já se preparam para receber o novo sucessor da rede sem fio: o Wi-Fi 6. Nesse artigo, você poderá tirar todas as suas dúvidas sobre a novidade. Acompanhe!  

 

Wi-Fi 6: entenda a novidade

O mesmo objetivo com muito mais eficácia: essa seria a definição perfeita para o Wi-Fi 6. A sexta geração da rede sem fio, cujo nome “científico” é 802.11ax, nada mais é que a busca por uma conexão ainda melhor dos dispositivos. O novo padrão chega ao mercado para o suceder o 802.11ac (sim, o Wi-Fi 5), protocolado em 2012. 

A oficialização do Wi-Fi 6 veio em setembro deste ano através da Wi-Fi Alliance. Essa empresa é a principal referência em pesquisa e implementação da rede Wireless e é a responsável por desenvolver e padronizar as redes sem fio. Fundada há 20 anos, a corporação também foi a responsável pela chegada da tecnologia de internet sem fio no Brasil. Segundo comunicado publicado pela companhia, o Wi-Fi 6 marca a evolução da conexão sem fio. 

 

Wi-Fi 6: quais as principais vantagens?

A principal vantagem do Wi-Fi 6 é o aumento da velocidade. Com números até quatro vezes superior ao Wi-Fi 5, a nova conexão sem fio pode chegar até a 10,53 Gbps na banda de 5 GHz de frequência. Isso representa também um aumento proporcional de velocidade com mais dispositivos conectados simultaneamente. Vale lembrar que estes números são projeções máximas, o que não quer dizer que vá alcançar estes valores nos dispositivos que entram em nossas casas. 

Como mencionamos acima, o Wi-Fi 6 oferece maior velocidade proporcional para os aparelhos ligados à rede, o que nos leva à segunda vantagem: o aumento de dispositivos conectados. A sexta geração foi pensada para abrigar ainda mais equipamentos, afinal, há tempos que a relação aparelhos x moradores de uma casa deixou de ser proporcional. A expectativa é que a nova rede sem fio acumule até oito dispositivos online simultaneamente sem perder a velocidade. Isso será possível graças à MU-MIMO, um sistema que permite maior taxa de transmissão de dados. 

O Wi-Fi 6 também recebeu muitos reforços em questão de segurança. O principal deles é a criptografia WPA3. Lançado no ano passado, o protocolo oferece maior proteção de dados em redes públicas, reforça o handshake processo de “reconhecimento” entre duas máquinas e dificulta a ação de ataques de hackers. A medida é uma resposta da Wi-Fi Alliance às recentes invasões globais a roteadores

Por fim, o Wi-Fi 6 busca economizar a sua energia. Essa funcionalidade é fruto do recurso Target Wake Time (TWT). Funciona quase como um “despertador” de envio de dados. Ela permitirá que o roteador programe um horário para verificar os status dos dispositivos. Caso o aparelho se encontre inativo, o sinal de Wi-Fi será reduzido, o que diminuirá o gasto da sua bateria e ainda poupará a rede. 

 

Wi-Fi 6: já está à disposição? 

Apesar de a protocolização ter sido recente, já existem no mercado alguns dispositivos que oferecem o Wi-Fi 6. Para que o aparelho receba esta tecnologia, há determinados hardwares que precisam ser implementados na fabricação dos produtos. Ainda não se tem informações oficiais dos roteadores que já adotaram a nova geração, mas especula-se que os modelos mais recentes trarão a novidade. Já nos smartphones, o Galaxy S10, da Samsung, e os novos iPhones, da Apple, já estão equiparados para a nova geração de rede sem fio. 

 

Città Telecom

Estamos também nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube

Como qualquer coisa que faz parte do nosso dia a dia, existem muitos mitos e suposições acerca do Wi-Fi. São, justamente, com essas informações tão passadas para frente que devemos ter atenção.

Wi-Fi: você acha que entende tudo sobre o tema? Já ouviu dizer que de churrasqueiro e técnico de futebol, todo brasileiro tem um pouco? Mas quando se trata se colocar o roteador para funcionar na melhor velocidade, ele se torna um pouquinho especialista em informática também. No entanto, é preciso ter bastante atenção quando se trata destes aparelhinhos. 

Como qualquer coisa que faz parte do nosso dia a dia, existem muitos mitos e suposições acerca do Wi-Fi. São, justamente, com essas informações tão passadas para frente que devemos ter atenção. Um pequeno erro de configuração pode comprometer a velocidade da sua internet. Escolhemos alguns dos mitos mais comuns a respeito do Wi-Fi para ajudar a desmentir algumas mentiras. Você já deve ter escutado alguns deles. Acompanhe! 

 

“Ficar do lado do roteador é melhor”

Dizem que você precisa se posicionar do lado do aparelho para que sua conexão funcione com excelência. Mas já pensou que tudo é uma questão de como você posiciona o seu roteador? 

O mais indicado é que você abrigue a aparelhagem em um local bem alto. Tudo porque as ondas de rádio são lançadas para frente e descem logo em seguida. Por essa mesma razão deve-se deixar sempre as antenas retas para cima. Do ponto mais alto, você garante que o sinal cubra toda a casa sem grandes obstáculos e sem precisar ficar prostrado ao lado do aparelho.  

 

“É vantagem ter mais de um roteador para cobrir toda a casa” 

Primeiramente, se seu roteador está falhando em fazer isso, você precisa analisar se não é um problemática causada pela questão explicitada acima: má posição. Se sua casa é bem grande e isso não resolveu, busque um repetidor de sinal. Trata-se de um aparelho que, como o nome sugere, duplica o sinal do seu aparelho para abranger uma maior cobertura. Em média, custa menos que um roteador novo

Além disso, colocar dois aparelhos roteadores está longe de ser uma vantagem. Eles podem utilizar os mesmos canais para transmitir o sinal, sobrecarregando a velocidade da sua internet. 

 

“O teste online apontou que não estou recebendo toda a internet contratada. Vou ter que trocar de roteador!” 

Antes de mais nada, cheque a procedência desses portais. Nem todos são confiáveis!  Primeiramente, esses dados não são de interferência direta do seu roteador e, sim, do provedor de internet. Portanto, vale atestar diversos fatores. O clima é um deles. Em dias de chuva ou ventos fortes, aumentam as chances de sua internet ficar instável. Em horários de pico, onde o tráfego é disputado por muita gente, a velocidade também pode sofrer quedas.

No entanto, os valores de taxa máxima de velocidade de conexão estipulados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) permitem com que as operadoras performem um pouco abaixo do esperado. São 80% da taxa de transmissão média e 40% da taxa de transmissão instantânea. Abaixo disso, reclame com seu provedor! 

Se você procura por um provedor de internet estável, de alta velocidade e que se comprometa a entregar toda a velocidade contratada, saiba que esse provedor existe sim

 

“Não pode deixar aparelhos eletrônicos perto do roteador”

Parece mito, mas esse sim é verdadeiro! Aparelhos que também utilizam ondas de rádio prejudicam o funcionamento do seu aparelho. Isso acontece porque eles podem utilizar a mesma frequência para se comunicar, o que resulta em interferências. 

Um dos maiores vilões do roteador é o telefone sem fio, justamente por também utilizar os mesmos canais de comunicação radiofônicos. Mas ele carrega esse fardo por um erro humano mesmo. Muitas pessoas têm o costume de colocar o roteador e o aparelho em uma mesma cômoda. Se você é um desses, esperamos que até aqui você já tenha aplicado a primeira dica! 

 

Città Telecom

Estamos também nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube

Se você não o conhece TikTok, é sinal de que já pertence a uma geração com algumas dezenas de anos de idade.

TikTok: o aplicativo de vídeos que é a nova febre mundial entre o público jovem. Você certamente já ouviu alguém dizendo que se confirmar que conhece determinada coisas vai entregar a própria idade, não é mesmo? Mas nesse caso, é exatamente o oposto. Se você não o conhece TikTok, é sinal de que já pertence a uma geração com algumas dezenas de anos de idade. 

TikTok é um aplicativo videomaker, onde você pode produzir, gravar e montar vídeos curtos de, no máximo, 60 segundos. Com uma interface simples e fácil de ser manuseado, ele ainda permite que o usuário adicione efeitos e trilhas sonoras. O app rende diversas mini esquetes hilárias, transformando a ferramenta em uma das maiores produtoras de virais da atualidade.  

 

TikTok: saiba mais 

Disponível para iPhones e aparelhos com sistema Android, o TikTok funciona como uma rede social. Os usuários disponibilizam as produções nos próprios perfis, onde outras pessoas podem seguir, curtir e comentar sobre os conteúdos. Justamente, por esse formato de social, que produz conteúdo pra si mesma, que os vídeos do TikTok pouco aparecem em outras redes, como Facebook e Instagram. 

O aplicativo foi lançado em setembro de 2016, pela ByteDance, uma empresa chinesa de tecnologia. No país de origem, a funcionalidade é conhecida como Douyin. Propagada internacionalmente um ano depois sob a alcunha de TikTok, o app já foi baixado mais de 800 milhões de vezes ao redor do mundo. A expectativa é que o número seja ainda maior, já que a empresa responsável pelos dados (Sensor Tower) não considerou os usuários de Android da China, cuja população ultrapassa 1,3 bilhões de pessoas. 

A grande virada de popularidade do TikTok ocorreu no ano passado, quando a ByteDance comprou o já popular aplicativo Musical.ly e fundiu com o produto da empresa. Estima-se que a compra tenha custado U$S 800 milhões de dólares. O extinto app, que mantinha sede em Xangai, na China, possuía a mesma proposta de criação de vídeos rápidos.   

 

TikTok em dados e fatos

Se você não fazia ideia do que se tratava o TikTok, esses dados, com certeza, vão te impressionar. No primeiro trimestre de 2019, o aplicativo figurou em terceiro lugar na lista dos mais baixados mundialmente pelo Google Play, ultrapassando Facebook e Instagram. Com 150 milhões de downloads, o app chinês perdeu apenas para WhatsApp e Messenger. Em outubro de 2018, o número de usuários do aplicativo de vídeos superou o das redes sociais de Mark Zuckerberg nos Estados Unidos.  

Além de revelar as próprias estrelas, celebridades famosas do Instagram tem percebido a força do TikTok e estão, sutilmente, realizando uma migração. Foi o caso de Kylie Jenner, dona de 149 milhões de seguidores e detentora do título de foto mais curtida da rede social ― até que o recorde foi quebrado por um ovo. 

Um vídeo em que ela canta para a filha foi editado e postado no TikTok. Em uma semana, se tornou a primeira produção do aplicativo a atingir 1 bilhão de visualizações. A caçula do clã Kardashian jura que o meme foi espontâneo e que ela não foi responsável pelo viral. No entanto, menos de uma semana depois, produtos com as frases do vídeo já estavam sendo vendidos na loja da socialite. 

Outra estrela mundial que viu o trabalho ser alavancado graças ao TikTok foi a Mariah Carey. Uma usuária do aplicativo publicou um vídeo dançando a música “Obsessed” de forma, digamos, bem peculiar. O conteúdo viralizou e levou a música, lançada em 2009, a atingir um crescimento de 300% no YouTube. A cantora americana entrou na brincadeira, postou vídeos em que imita a menina e chegou até a criar uma conta oficial no aplicativo. 

 

TikTok: pode funcionar para o meu negócio?

Como toda novidade que chega e impacta tão fortemente a cultura, os empresários já começam a pensar formas de agregar isso aos seus negócios. Mas o fato é que o TikTok ainda é extremamente segmentado. A expectativa é que o aplicativo demore a atingir um público mais adulto, como foi com o Instagram, que só registrou aumentos significativos de usuários mais velhos em 2017, quase 6 anos após a compra pelo Facebook. 

Dados oficiais apontam que o público entre 16 e 24 anos representa 41% dos usuários. No entanto, estima-se que o grande forte do TikTok sejam crianças entre 12 e 15 anos. Portanto, se o seu negócio não atinge um público bem jovem, ainda é muito cedo para pensar o TikTok estrategicamente. 

Discute-se que o crescimento desse aplicativo seja exatamente uma fuga de redes como Facebook e Instagram, que já são fortemente utilizados pelo público mais velho; leia-se os pais dessas pessoas, que têm acesso a informações que nem sempre esses filhos gostam de compartilhar.  

Podemos considerar que as principais concorrentes do TikTok são o Instagram Stories e o Snapchat. Enquanto o primeiro atingiu a marca de 500 milhões de usuários ativos diariamente, o segundo ainda enfrenta uma crise causada pela funcionalidade criada (ou seria copiada?) pela rede de Zuckerberg. 

Ainda é muito cedo para afirmar que o app tornará obsoleta a função do Instagram, mas é fato que ele representa uma alternativa em uma era em que Facebook e as redes irmãs perdem credibilidade, especialmente nos Estados Unidos, centro de um escândalo de vazamento de dados. 

 

Città Telecom

Estamos no Linkedin e também nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube

Enquanto você navega, o Ecosia planta um árvore. Saiba mais!

Ecosia: um braço direito da sustentabilidade a alcance da sua mão! Nos últimos meses, a discussão sobre a preservação do meio ambiente tem sido cada vez mais intensa, especialmente, pelo aumento das queimadas e nas notáveis e constantes alterações de clima. Muito se pergunta como nós, cidadãos comuns, podemos fazer para ajudar na causa. Uma solução tem apenas uma palavra e pode ser encontrada na loja de aplicativos do seu celular: Ecosia.

 

Ecosia: o que é?

Ecosia é um aplicativo de buscas online. Ele pode ser baixado pelos usuários de Android e iPhone e funciona com dinâmica e layout semelhantes aos do Google. Porém, ele traz uma diferença no seu funcionamento. Enquanto você navega na internet e extrai todas as informações que precisa, o app planta uma árvore. 

Fundado em 2009 por Christian Kroll, o administrador alemão visava apenas plantar árvores. Ele defende um novo modelo de negócios que visa além de maximizar o lucro. Durante participação no Web Summit, no ano passado, ele afirmou categoricamente que seu propósito de plantar árvores é maior do que o de ganhar milhões de euros. 

O aplicativo viralizou no Twitter ano passado, após a formalização da compra de 200 hectares da Hambacher, uma das mais importantes florestas da Alemanha. O objetivo da aquisição foi preservar as árvores da região, já que o território verde encontra-se devastado graças à ação de uma mineradora que detém a área. 

 

Ecosia: como funciona?

Nada sai do seu bolso. Quando o usuário realiza as buscas pelo Ecosia, ele é impactado por alguns anúncios. A venda dos espaços publicitários e os cliques nesses banners geram receita para o aplicativo. Com isso, parte desse lucro é revertido para o plantio de árvores em áreas com altos índices de desmatamento e queimada. De acordo com dados divulgados pela empresa, 46,8% das despesas do Ecosia foram destinadas ao plantio de árvore. Os outros 53,2% foram divididos entre gastos com custos operacionais, reinvestimentos e divulgação. 

Em média, o usuário precisa realizar 45 buscas no Ecosia para que uma árvore seja plantada. De acordo com dados disponíveis no próprio aplicativo, até o fechamento deste artigo, mais de 70 milhões de árvores haviam sido plantadas graças aos usuários. O número é gigante, mas ainda pouco perto da quantidade que o app defende que há espaço para ser plantada: um trilhão. 

O aplicativo é super fácil de ser utilizado e funciona, também, como um navegador para acessar a páginas da internet. Ao lado da barra de endereços, o usuário pode acompanhar o total de buscas realizadas e assim, controlar quantas pesquisas a mais ele precisa para resultar no plantio de uma árvore. 

O Ecosia também se vende como uma opção a favor da privacidade dos dados de navegação, uma das principais preocupações dos usuários em relação ao Google. De acordo com a descrição disponível nas lojas de aplicativos, “as florestas precisam de proteção e sua privacidade também”. Eles prometem não salvar suas pesquisas e nem vender seus dados para a publicidade. 

Apesar da proposta ecologicamente correta, o Ecosia também é alvo de críticas de especialistas no segmento. Tudo porque ele utiliza como base o Bing, mecanismo de buscas da Microsoft. A empresa estadunidense colocou como meta até 2020 utilizar 60% de energia renovável para as operações, enquanto o Google, já utiliza 100% desde o ano passado. 

 

Ecosia: ajudando o Brasil 

Não é o Ecosia que planta as árvores diretamente. O aplicativo financia organizações que trabalham pelo reflorestamento de áreas devastadas. No Brasil, a principal parceira do app é a Associação Ambientalista Copaíba, sediada em Socorro, no estado de São Paulo. 

De acordo com o site da entidade, a principal missão é “conservar e restaurar a Mata Atlântica das bacias dos rios do Peixe e Camanducaia”. Em 2017, a equipe do Ecosia visitou a cidade de Socorro para conferir de perto o projeto de restauração florestal da Copaíba e elogiou a ação em terras brasileiras. 

 

Città Telecom

Estamos no Linkedin e também nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube

LinkedIn pessoal: estratégias na hora de atualizar o seu perfil podem te garantir uma boa oportunidade de emprego.

LinkedIn pessoal: estratégias na hora de atualizar o seu perfil podem te garantir uma boa oportunidade de emprego. Além de lazer e entretenimento, as redes sociais viraram, também, um polo corporativo. Milhões de pessoas estão online diariamente em busca de networking e novas oportunidades de emprego. Devido ao tamanho dessa demanda, o Linkedin ganha cada vez mais força. Entenda um pouco mais!

 

Linkedin: o que é? 

O Linkedin é uma rede social voltada para o universo profissional. Neste espaço, você pode descobrir vagas de emprego, firmar parcerias e entrar em contato direto com os membros do seu mercado. O meio é considerado um “currículo online”, onde você pode divulgar suas expertises e, assim, chamar a atenção das empresas do seu segmento.  

Fundado em 2002 antes mesmo do Orkut por quatro empresários e amigos estadunidenses, o LinkedIn iniciou com 350 conhecidos dos profissionais, que foram convidados a testar a plataforma. A iniciativa chamou a atenção de investidores ao redor do mundo e em 5 anos, o número de usuários já ultrapassava os 15 milhões.

Atualmente, mais de 500 milhões de pessoas estão conectadas no Linkedin ao redor do mundo. Em 2018, o Brasil alcançou a marca de 35 milhões de cadastros na rede social corporativa, o que torna o país a terceira maior potência mundial na plataforma. Nesse mesmo ano, a estimativa era de que 10 milhões de vagas seriam anunciadas no período. 

 

LinkedIn pessoal: dicas para o perfil

Comece atualizando o principal cartão de visitas: a sua foto. No LinkedIn, perfis com imagem chamam 10 vezes mais atenção. Não precisa ser uma foto com uma seriedade que lembre as 3×4 das identidades. No entanto, escolha a fotografia mais neutra possível, com um fundo que chame pouca atenção e destaque bem o seu rosto; evite óculos escuros ou qualquer coisa que possa cobri-lo. Elimine, também, fotos sem camisa, com trajes de banho ou qualquer outra que deixe pele demais à mostra. Guarde essas para o Instagram! 

Use esta ferramenta gratuita e descubra se sua foto do LinkedIn está profissional!

Mesmo que sua formação adicione alguns “detalhes” ao nome da função que você exerce, é muito importante ser curto e grosso na hora de preencher o campo “profissão”: jornalista, arquiteto, estudante… Essas palavras são keywords essenciais para os recrutadores que buscam profissionais através do Linkedin. 

Agora, preencha — muito! — bem todos os espaços referentes às suas experiências. Descreva detalhadamente todas as suas funções em que todas as empresas que trabalhou e explicite todos as particularidades das suas formações. Não tenha preguiça de se estender: são essas pequenas nuances que já vão, de cara, te diferenciar dos concorrentes. Se você tem engajamento com projetos sociais, adicionar essa informação ao perfil do Linkedin é um super diferencial. 

Com o perfil pronto, é chegada a hora de adicionar as conexões. No Facebook, por exemplo, a graça é adicionar os mais variados tipos de pessoas para que os conteúdos também sejam variados. No Linkedin, a lógica é outra. Priorize segmentar suas conexões, mesmo que seja rude recusar o convite de alguém. Ele precisa ser um espaço que irá te acrescentar, tanto em networking, quanto em possibilidades de trabalho. 

Use esta ferramenta gratuita para saber o grau de eficiência do seu perfil no LinkedIn!

Agora, que você tem uma rede interessante de conexão no Linkedin, não hesite interagir com eles! É essencial curtir e comentar as publicações dos amigos e parabenizar pelas conquistas, não apenas para demonstrar interesse no conteúdo, mas para realizar a manutenção de uma relação que pode render trabalhos no futuro. Se você é mais low profile, não se preocupe. A própria plataforma disponibiliza mensagens automáticas para o bate papo caso você queira iniciar uma interação ou felicitar por uma nova vaga. 

Siga, também, as empresas com as quais você se identifica ou tem alguma pretensão de trabalhar um dia. A grande maioria disponibiliza muitas oportunidades de vagas pelo LinkedIn, como os dados explicitados acima mostram. Além disso, estar atualizado das novidades dessas corporações pode ser uma excelente fonte de inspiração.  

Por fim, mantenha seu perfil sempre atualizado, mesmo que você esteja satisfeito com seu emprego e não pensa em trocar. Temos o péssimo hábito de alimentar o Linkedin — e outras plataformas de trabalho — apenas quando estamos desempregados. No entanto, esta rede social serve, além de procurar vaga, para ajudar a consagrar seu nome dentro do seu mercado. Além das informações do perfil, atualize o perfil com publicações. Poste sobre seus mais recentes trabalhos e compartilhe dicas e ideias com as suas conexões! 

 

Città Telecom

Estamos no Linkedin e também nas redes sociais! Para ficar por dentro dos nossos conteúdos e dos nossos serviços, siga-nos!

Facebook | Instagram | Twitter | Linkedin | YouTube