Momo: tire ela da sala!

Momo: tire ela da sala. A aterrorizante boneca foi criada no Japão, em 2016, por um artista plástico. Com pés de pássaros, olhos esbugalhados, pele pálida e aparência anêmica, ela foi feita apenas para ser uma escultura em referência à Ubume, um mito do folclore japonês. No entanto, após ser exposta em um shopping, acabou se tornando uma figura viral trágica.

Uma investigação realizada Unidade de Investigação de Delitos Informáticos do Estado de Tabasco, no México, aponta que o viral teve início em grupos de Facebook. Bastava enviar uma mensagem a um número desconhecido, que possuía a foto da Momo de perfil, para receber desafios, ameaças e imagens perturbadoras. O fenômeno, no entanto, começou a atingir crianças e adolescentes ao redor do mundo.

Por razões de segurança, não entraremos em detalhes sobre o funcionamento do viral com o público teen. Em resumo, ela oferece amizade para estes jovens. Com o tempo, começa a propor desafios que podem resultar em download de aplicativos pornográficos, roubo de dados e até situações físicas, como agressão aos pais, automutilação e suicídio.

Investigações acerca da Momo já acontecem em várias partes do mundo, incluindo Estados Unidos e países da Europa e da América Latina. No Brasil, as perícias foram iniciadas depois da suspeita da ligação de Momo ao enforcamento de um menino de 9 anos, em Recife. O caso ocorreu em agosto do ano passado.  

 

Momo no YouTube?

Apesar de ser um fenômeno do Facebook e do WhatsApp, Momo voltou a ser centro de discussões depois que, supostamente, passou a fazer aparições no YouTube Kids, versão infantil da plataforma. Vale destacar que, desde julho de 2018, o site é investigado pelo Ministério Público para averiguar como os dados de crianças são tratados.

Em março, pais de uma menina de 8 anos vieram a público denunciar que a boneca Momo interrompia vídeos de slime, uma massinha maleável que é sensação entre as crianças. Isso teria acontecido no YouTube Kids, que tem um algoritmo próprio para barrar conteúdos impróprios para menores. Segundo o relato, a criança havia assistido instruções dadas pela boneca de como se suicidar.

Após a repercussão da notícia, a plataforma veio a público negar a denúncia. Em nota oficial divulgada nas redes sociais, o YouTube declarou: “não encontramos nenhum vídeo que promova um desafio Momo no YouTube Kids. Qualquer conteúdo que promova atos nocivos ou perigosos é proibido no YouTube. Se encontrar algo parecido, denuncie”.

 

Momo: como afastar as crianças dessa armadilha?

Facebook, YouTube e os smartphones, enquanto empresas, têm, sim, suas responsabilidades para com seus consumidores e devem ser culpabilizados nos casos em que a integridade física de uma criança é posta em risco.

No entanto, os pais não devem esquecer que precisam repensar sua responsabilidade no controle do conteúdo que está sendo assistido pelo seu filho. Proibir não é solução, mas você pode ajudá-lo a ter um consumo saudável no ambiente virtual.

O principal deles é o diálogo. Ele pode saber mexer melhor que você, mas você certamente sabe melhor como usar. Percebe a diferença?

Alerte sempre seus filhos dos perigos da internet e principalmente da importância de preservar os dados, como endereço de casa e da escola. Além de deixar a criança alerta, você ainda ajuda a aumentar os laços de confiança e reforçar sua autoridade. E evite deixá-lo mais que 2 horas por dia com o celular em mãos!

Especialistas recomendam que a atividade do seu filho seja completamente monitorada até os 12 anos. Se você tem filhos nessa idade, cheque o histórico de navegação, acesse os downloads, observe atentamente as amizades de Facebook e as mensagens trocadas. Existem diversos softwares e pacotes de antivírus que auxiliam no controle do acesso dos pequenos.

Mas se, mesmo assim, seu filho ainda sofrer algum assédio, ameaça ou tentativa de extorsão, denuncie na hora! Procure a delegacia de crimes virtuais mais próxima.

 

Città Telecom

Segurança é uma das nossas palavras de ordem. Por isso, buscamos fornecer uma internet rápida e estável, mas que proteja os seus dados e a sua conexão! Por isso, nós da Città Telecom, nos colocamos à sua disposição.