Ergonomia do trabalho: muito se discute sobre este tema, mas pouco ainda se aplica desta corrente no dia a dia de uma organização. Você sabe do que se trata?

Ergonomia do trabalho: o que é? Saiba mais!

Ergonomia do trabalho: muito se discute sobre este tema, mas pouco ainda se aplica desta corrente no dia a dia de uma organização. Você sabe do que se trata? Em nossos artigos, muito temos falado sobre a importância de um tratamento humanizado para com os seus funcionários. Além do trato digno, que todo ser humano merece, isso fará com que sua equipe se sinta mais motivada e comprometida com o trabalho, o que leva a resultados cada vez melhores.

Assim como a gestão de pessoas, a ergonomia do trabalho foi pensada com base na psicologia organizacional, área dedicada a estudar os fenômenos sociais que acontecem no ambiente de serviço. Essa corrente compreende as relações entre os seres humanos e o lugar em que ele trabalha, identifica os riscos nas atividades, determina as condições ideias e, assim, desenvolve métodos que valorizem o conforto e previnam acidentes durante o expediente, visando a melhora do rendimento e da saúde física e mental do colaborador.

As condições de insalubridade são a principal motivação para a queda da produtividade. Entende-se, aqui, por condições insalubres não apenas as que afetam a saúde física, como excesso de peso ou trabalho braçal exaustivo, mas, também, as que comprometem diretamente o psicológico: rivalidade e competitividade, controle rígido, comportamento hostil dos chefes da equipe, jornada de trabalho noturna, horas extras forçadas, entre outros.

Entre os riscos ergonômicos, podemos destacar ansiedade, depressão, dores musculares, dores na coluna, diabetes, estafa, estresse pós traumático, gastrite, hipertensão arterial, insônia, síndrome do pânico, taquicardia, tendinite, transtorno obsessivo compulsivo, úlcera, lesão por esforço repetitivo (LER/DORT), entre outros. Alguns desses problemas são irreversíveis e, muito além de comprometer a produtividade do trabalho desempenhado, eles geram distúrbios psicológicos e fisiológicos que acompanharão um ser humano durante toda uma vida.

Entendendo a necessidade de um ambiente mais saudável, a ergonomia do trabalho foi regulamentada pelo Ministério do Trabalho e Emprego. A Norma Reguladora (NR 17) publicada em 2007 exige “a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente”. No entanto, com a extinção desta pasta e a divisão em Justiça, Economia e Cidadania, ainda não se tem dados sobre como funcionará a regulamentação nos próximos anos.

A NR 17 ainda defende que cabe ao empregador ou líder da equipe realizar a chamada Análise Ergonômica do Trabalho, isto é, considerar todos os âmbitos que envolvem o ambiente e a atividade laborais para identificar quais pontos apontaram para um possível desenvolvimento de transtornos físicos e mentais. Para isso, é preciso analisar cuidadosamente cada aspecto que envolve o processo de trabalho, seja ele envolvendo esforço físico ou criatividade.

Ergonomia do trabalho traz muitos benefícios

Segundo publicação da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2016, a depressão tirou cerca de 75 mil pessoas do mercado de trabalho e a expectativa é que, até 2020, este seja a doença mais incapacitante do mundo. Um ambiente que considera a ergonomia do trabalho garante que os quadros de depressão dos funcionários não seja agravada ou não aconteça, nos casos de quem desenvolve a doença por causa do serviço. A seguir, listamos algumas das principais vantagens da adoção desta corrente.

  • Garantia de conforto e segurança;
  • Melhorias na estrutura organizacional de sua firma;
  • Melhor contato com as ferramentas de trabalho;
  • Queda do desperdício – de tempo e de material – e aumento da produtividade;
  • Redução do número de abstenções e de desligamentos;
  • Um ambiente de trabalho mais harmônico.

Ergonomia do trabalho: dicas de como aplicar

Como mencionado acima, para que a ergonomia do trabalho seja aplicada de forma muito eficiente, é preciso um estudo detalhado do funcionamento da sua empresa. Mas aqui vai algumas dicas de pequenos ajustes que podem ser úteis para qualquer tipo de corporação.

  • Estimule hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e a prática de exercícios;
  • Permite pausas: a NR 17 recomenda uma pausa de 10 minutos para cada 50 minutos trabalhados, não deduzidos da jornada normal de trabalho;
  • Respeite a carga horária e não force seus funcionários a fazerem horas extras excessivas;
  • Se preocupe com o ambiente: um local mal iluminado, com organização de espaço má distribuída ou com temperatura inadequada também prejudica o rendimento.

A Città oferece planos de internet e telefonia que garantem qualidade, segurança e toda a velocidade que sua empresa precisa para começar 2019 com o pé direito!

Precisa de ajuda para entender melhor? Solicite a visita de um de meus Consultores Especializados agora mesmo.